quinta-feira, dezembro 09, 2010

segunda-feira, novembro 15, 2010


Falamansa une alegria e conscientização ambiental em show no Marina Hall

fonte: Correioweb.com.br


Regado à alegria, diversão e conscientização ambiental. Assim foi o show da banda Falamansa, no sábado (14/11), na casa de shows Marina Hall. Cerca de duas mil pessoas dançaram por quase seis horas. Falamansa veio à Brasília para fazer o pré-lançamento do segundo DVD do grupo Por um mundo melhor. O trabalho contém cinco canções inéditas e reúne todos os sucessos dos sete CDs anteriores. A abertura do evento ficou por conta do DJ Joãozinho Chapéu de Couro que começou a animar o público às 22h. Por volta das 23h50, entrou a banda brasiliense Musibem, que apresentou músicas com estilo voltado para o pop rock. Conscientização A banda de forró universitário trabalha com conscientização ambiental desde 2007. Para o vocalista, Ricardo Ramos Cruz, mais conhecido como Tato, esta é uma ação importante na atualidade. “Tentamos mostrar para o público que cuidados ambientais estão ligados às condutas do dia a dia”, disse. A organização do evento trouxe uma lixeira gigante para o descarte de latinhas que foram encaminhadas para reciclagem. Com o cenário do palco repleto de garrafas pet e material reciclado, o Falamansa cantou sucessos como Xote dos milagres, Rindo à toa, Coisa boa e Avisa. O casal José Pereira e Silvânia Melo são respectivamente de Ceará e de Minas Gerais. Adoram danças forró e adoraram o show. “A banda estava muito animada e o evento bem organizado”, comentaram eles. O lançamento do DVD está marcado para o dia primeiro de dezembro, em São Paulo.

Fonte : Correio Braziliense - site: http://tinyurl.com/2g9fbm2


Nota da Blogueira: Excelente iniciativa e ação!!! Parabéns ao Falamansa e muito sucesso!!!!

sábado, novembro 13, 2010

video


Nota da Blogueira: Campanha maravilhosa da Brastemp em tempos que devemos sorrir mais para a vida para que ela possa nos sorrir de volta!!

video

Muito legal este video...as caras e bocas do japinha fazendo graça..e como toca..sem dúvida um grande talento!!! Parabéns aos papais deste prodigio!!!
Nota da Blogueira: PARA QUE OS HOMENS APRENDAM A VALORIZAR AS MULHERES E PARA ALGUMAS MULHERES SE DAREM O DEVIDO VALOR: AFINAL, CABE A NÓS A CONSCIÊNCIA DA IMPORTÂNCIA QUE TEMOS NA VIDA DE TODAS AS PESSOAS! E NÃO SE PREOCUPE EM CONVENCER NINGUÉM...COMO O PRÓPRIO TEXTO DESCREVE...QUE TENTEM VIVER SEM NÓS! É ATÉ POSSÍVEL, MAS BEM MAIS COMPLICADO!



Um homem chegou em casa, após o trabalho, e encontrou seus três filhos brincando do lado de fora, ainda vestindo pijamas.

Estavam sujos de terra, cercados por embalagens vazias de comida entregue em casa.

A porta do carro da sua esposa estava aberta.
A porta da frente da casa também.

O cachorro estava sumido, não veio recebê-lo.

Enquanto ele entrava em casa, achava mais e mais bagunça.

A lâmpada da sala estava queimada, o tapete estava enrolado e encostado na parede.

Na sala de estar, a televisão ligada aos berros num desenho animado qualquer, e o chão estava atulhado de brinquedos e roupas espalhadas.

Na cozinha, a pia estava transbordando de pratos; ainda havia café da manhã na mesa, a geladeira estava aberta, tinha comida de cachorro no chão e até um copo quebrado em cima do balcão.

Sem contar que tinha um montinho de areia perto da porta.

Assustado, ele subiu correndo as escadas, desviando dos brinquedos espalhados e de peças de roupa suja.

'Será que a minha mulher passou mal?' ele pensou.

'Será que alguma coisa grave aconteceu?'

Daí ele viu um fio de água correndo pelo chão, vindo do banheiro.

Lá ele encontrou mais brinquedos no chão, toalhas ensopadas, sabonete líquido espalhado por toda parte e muito papel higiênico na pia.

A pasta de dente tinha sido usada e deixada aberta e a banheira transbordando água e espuma.

Finalmente, ao entrar no quarto de casal, ele encontrou sua mulher ainda de pijama, na cama, deitada e lendo uma revista.

Ele olhou para ela completamente confuso, e perguntou: Que diabos aconteceu aqui em casa?

Por que toda essa bagunça?

Ela sorriu e disse:

- Todo dia, quando você chega do trabalho, me pergunta:

'- Afinal de contas, o que você fez o dia inteiro dentro de casa?'
-'Bem... Hoje eu não fiz nada, FOFO !!!!


Para finalizar um poema maravilhoso de autor (provavelmente autora) desconhecido.


O meu nome é MULHER!


No princípio eu era a Eva
Criada para a felicidade de Adão
Mais tarde fui Maria
Dando à luz aquele
Que traria a salvação
Mas isso não bastaria
Para eu encontrar perdão.
Passei a ser Amélia
A mulher de verdade
Para a sociedade
Não tinha a menor vaidade
Mas sonhava com a igualdade.
Muito tempo depois decidi:
Não dá mais!
Quero minha dignidade
Tenho meus ideais!
Hoje não sou só esposa ou filha
Sou pai, mãe, arrimo de família
Sou caminhoneira, taxista,
Piloto de avião, policial feminina,
Operária em construção...
Ao mundo peço licença
Para atuar onde quiser
Meu sobrenome é COMPETÊNCIA
E meu nome é MULHER..!!!!







terça-feira, junho 29, 2010





Seja Essencialmente Feliz

Atualmente a palavra felicidade nos reporta uma enormidade de situações. Para alguns felicidade é ter uma vida boa, casa, comida, família e amigos leais. Para outros um bom emprego, passar num concurso, se realizar profissionalmente, ter filhos, fazer uma viagem, reencontrar pessoas queridas. Momentâneo ou não, e não incomum é sentirmos felicidade através destes acontecimentos. Mas aí, alguém consegue me dizer exatamente o que é ser essencialmente feliz?

Para mim, as pessoas ao buscarem a felicidade através de outras pessoas ou coisas perdem a essenciabilidade da felicidade, ou seja, a habilidade de ser essencialmente felizes. Felizes por terem saúde, felizes por terem lugar pra morar, por ter o que comer e um lugar pra trabalhar, ainda que não sejam ricos e nem realizados completamente em qualquer área de sua vida.

Pessoas essenciamente felizes, nunca param. Estão sempre em buscar de alguma coisa. E quando as conseguem não as desvalorizam. Logo, estão em busca de mais melhorias. De mais crescimento. Não...estas pessoas não são insaciáveis. Não são do tipo que assim que conseguem as coisas desanimam ou se desinteressam. Ainda assim, vitoriosas ou não, continuam incessantemente buscando seus objetivos e ideais custe o que custar. O tempo não as desanima porque caminham numa linha reta, não se permitem desvios ou qualquer coisa que tire essa meta de suas cabeças. Com isso, essas pessoas possuem muito mais persistência e são mais determinadas que a maioria das pessoas que no meio das primeiras dificuldades ou obstáculos desviam de seus caminhos ou desistem.

É incrível como está em nossas mãos, digo, de cada um de nós como indivíduos, a busca desta essenciabilidade em ser feliz. Somos hábeis para uma série de coisas. Existem pessoas que fazem peripécias que nenhum ser humano normal consegue e, mesmo assim, não se sentem essencialmente felizes. A felicidade, dizem uns, é um estado de espírito. Para outros são pequenos momentos. Eu não concordo. Uma pessoa essencialmente feliz é uma pessoa que chora, que fica triste, que desanima em alguns momentos, que nem sempre parece ser uma pessoa feliz. É uma pessoa normal. Tem momentos de frustração, chateação, decepção ou tristeza.

A grande diferença nestas pessoas é que existe uma força poderosa que está nas suas almas. Uma força de reconstrução que nós todos temos em alguns momentos de nossa vida, que até usamos de vez em quando, mas que na maioria das vezes, esquecemos de acionar dentro de nós. Parece fácil falar de um sentimento tão difícil de definir. Felicidade é para gente aquilo que nos é palpável, visível ou realizável. Porém, a verdadeira e a essencial felicidade está bem além das palavras com as quais tentamos defini-la.

Ser essencialmente feliz é possível, mas é necessária uma boa parcela de investimento, paciência e uma boa dose de autoconhecimento. É, antes de mais nada, preciso querer ser essencialmente feliz. É preciso acreditar, ter fé em nós mesmos e em nossas vontades de tornar real aquilo com o qual sonhamos, desejamos ou precisamos. Não basta sair por ai atravancando a vida, passando por cima das coisas e das pessoas. É preciso estabelecer metas, planejar as etapas e cumpri-las, ainda que demoradas, ainda que complicadas e ainda que completamente inviáveis. É preciso visualizar os obstáculos e criar táticas para vencer cada um deles. É preciso estar atento, avaliar todo o processo e mudar o que se fizer necessário.

Bem, quem disse que ser feliz, ou melhor, ser essencialmente feliz seria fácil. Depende de primeiramente de querer e depois de buscar por isso. Basicamente. Mas exige tempo e dedicação. Persistência e disciplina. E todas essas coisas possuímos dentro de nós. É preciso acordá-las e trazê-las a tona. Como uma chamada no fundo da alma para que paremos de colocar a culpa no mundo e nos outros e comecemos a nos responsabilizar pela busca da essenciabilidade de nossa felicidade. É hora de parar de reclamar, de adiar e de achar que a felicidade por si só baterá em nossa porta perguntando se temos espaço em algum cantinho de nossa casa.

É hora de agir, de sair da toca, de correr na frente e nunca atrás, quem corre atrás está com alguma coisa sempre na sua frente, empatando seu sucesso. Então, esse é meu convite. Saia da inatividade. Seja audaz, seja forte e determinado. Cumpra as etapas, todas. Seja persistente e disciplinado. Seja estratégico e planejado. Seja, finalmente, essencialmente feliz. Pare já de se atrasar. E não se sabote. Você ainda tem muito tempo pra isso.

domingo, maio 16, 2010


Resistência, força ou teimosia???
por Maria Silvia Orlovas -


Por que temos que ser fortes? Por que aprendemos que não podemos chorar? Por que temos que resistir bravamente às coisas que nos acontecem? Por que guardar nossos sentimentos? E por que nos sentimos envergonhados em reconhecer nossos erros, ou até mesmo ao pedir desculpas?

Concordo que precisamos ser fortes. Ter opinião formada a respeito do nosso caminho de vida e de nossos valores, mas nem sempre devemos opor resistência às coisas que nos acontecem e às atitudes das pessoas. Simplesmente porque não podemos resistir às coisas que não dependem de nossa vontade. Muitas vezes situações acontecem sem que tenhamos o menor controle. Outras vezes ainda são as pessoas que tomam atitudes que são contra a nossa vontade, mas que se opusermos resistência fica ainda pior. Mas, por orgulho, ou porque achamos que temos razão e o outro não, resistimos, queremos ter a última palavra e fazer valer a nossa opinião...

Aprendi que muitas situações se resolvem por si mesmas. Aprendi também que por mais que tentemos educar, corrigir, coibir ações dos outros, não mudamos as pessoas. Cada um tem um tempo, um aprendizado e um caminho na vida. Às vezes esses caminhos e essas pessoas cruzam conosco e enquanto precisamos por alguma Lei Maior permanecer juntos, assim ficamos; mas em outros casos é necessário um afastamento para o crescimento de ambos. E aí adianta resistir?

Tentar reatar um relacionamento? Perdoar novamente erros que se repetem num caminho sem fim tentando sempre mudar o outro? Ou será que uma atitude assim não seria apenas teimosia de nossa parte?

Os Mestres ensinam que precisamos aprender a perder para ganhar. A lei da não-resistência, maravilhosamente empreendida por Mahatma Gandhi, exaltava essa incrível capacidade humana de não resistir ao mal. Porque a resistência gera um novo mal, um desejo de vingança, um impulso de corrigir o outro que nunca acaba. Nosso ego quer sempre ter a última palavra e quase sempre odiamos ser repreendidos mesmo quando sabemos que não temos razão.
Dificilmente, alguém aceita uma crítica, mesmo no trabalho. Em muitos momentos somos tão infantis que levamos tudo para o lado pessoal e transformamos num drama situações que poderiam ser facilmente superadas.

Mahatma Gandhi sabia que se resistisse seria uma luta sem fim que acarretaria a morte de milhares de inocentes. E assim ele venceu o império inglês e libertou a Índia. Exemplos como o dele não devem ser esquecidos porque podemos fazer o mesmo em nossa vida. Podemos tentar aceitar que o mundo das pessoas à nossa volta pode ser diferente do nosso, mesmo sendo criados numa mesma família ou compartilhando o mesmo teto num casamento. Cada um continua tendo a sua individualidade e quando o espírito ainda se encontra pouco desperto o ego grita e afasta as pessoas.

Assim, amigo leitor, sugiro que para ter uma vida mais feliz pense na aceitação, no poder da não-resistência. Pense que esse é um grande aprendizado que deve ser colocado em prática por todos aqueles que têm uma compreensão espiritual mais profunda e que entendem que precisamos vencer as aparências e deixar a vida fluir.


Por Xico Sá . 14.05.10 - 18h40

Chá-de-sumiço

“Toda mulher, após trinta dias de felicidade sente fome e sede de desgraça. Só não irá embora se não tiver condução.” (Antônio Maria)

A frase aí acima, de autoria do meu cronista predileto, não cai aqui de pára-quedas ou epígrafe gratuita de citador profissa. Ela explica muita coisa. Repare:

Nas metrópoles gigantescas como SP, BH, Rio, Salvador, Porto Alegre, Recife, Fortaleza e outros tantos formigueiros, haja encontros e desencontros. Alguns não tão graves, acontecem; outros, infinitamente dolorosos, nos perturbam os sentidos, fazem a gente maldizer os céus, os astros, o destino, a camada de ozônio.

Fica tudo na base do “a gente se vê”… E adeus! Não que fosse acontecer um casamento ou algo do gênero a partir daquele esbarrão gostoso – nada disso, mas foram momentos bonitos, fortes, que se acabam ali mesmo, na poeira da estrada, numa tarde fria, em um café da manhã, numa simples despedida.

“A gente se vê.” Pronto, eis a senha para o terror, o “never more”, o nunca mais do corvo do Edgar A. Poe no pé do ouvido.

A gente se vê. Corta para uma multidão no viaduto do Chá, São Paulo.

A gente se vê. Corta para uma saída de estádio, um Mineirão, um Castelão, um mundão do Arruda lotado em dia de decisão do campeonato.

A gente se vê. Corta para “Onde Está Wally”.

Nada mais detestável de ouvir do que essa maldita frase. Logo depois, a porta bate e nem por milagre se abrirá para a dita figura novamente.

Jovens mancebos, evitem essa sentença mais sem graça. Raparigas em flor, esqueçam, esqueçam…

Melhor dizer logo que vai comprar cigarro, o velho king size com filtro do abandono. Melhor dizer que vai pra nunca mais. Melhor o silêncio, o telefone na caixa postal, o telefone desligado, o desprezo propriamente dito, o desprezo on the rocks.

A gente se vê uma ova. Seja homem, seja mulher de verdade, troque de palavras, use o código do bom-tom e da decência. A gente se vê é a mãe, a vovozinha, ora, ora.

Como canta o Rei Roberto, use a inteligência uma vez só, quantos idiotas vivem só…

Esse “a gente se vê” deveria ser proibido por lei. Constar nos artigos constitucionais, ser crime inafiançável no Código Penal.

A gente se vê é pior do que “a gente se esbarra por ai”. Pior do que deixar ao acaso, que jamais abolirá a saudade, que vira uma questão de azar e sorte.

Melhor dizer logo de uma vez: “Foi bom, meu bem, mas não te quero mais”. YO NO TE QUIERO MÁS, como na camiseta mexicana que ganhei da Rita Wainer, uma ex que me aturou lindamente. Dizer foi bom meu bem e pronto, ficamos por aqui, assim é a vida, sempre mais para curta do que longa-metragem.

A gente se vê é a bobeira-mor dos tempos do amor líquido e do sexo sem compromisso. A gente se vê, tô fora.

Seja homem, seja mulher, diga na lata.

Não engane a moça, que a moça é fino trato, que não merece desdém ou o quém quém do pato da Bossa Nova.

A fila anda, jogue limpo, sem essa de beque da roça para cima do futebol-arte da jovem.

A gente se vê. Corta para uma multidão no Morumbi, em busca do tetra da Libertadores.

A gente se vê. Corta para clássico no Maracanã.

A gente se vê. Corta para a São João com a Ipiranga.

A gente se vê. Corta para um engarrafamento gigante na marginal do Tietê.

A gente se vê. Corta para a Praça Castro, Alves no encontro de trios elétricos.

A gente se vê. Corta para o carnaval do Galo da Madrugada.

A gente se vê. Então aproveita e vai ver se eu estou na esquina!

....

adorei (nota da blogueira)

domingo, fevereiro 21, 2010




Não sabemos o começo...
Nem o fim de nossa história...

Somos apenas e simples...
Inevitável trajetória!!!

by Lutche



Na bagagem levo te coração
Na minha boca, tua recordação...
E o resto...

É só ilusão?????

by Lutche


Dó, Ré,
Mim...
Faz Sol

Sem Dor!

by Lutche



Não me acorde deste sonho
Que parece tão real...
Em meu corpo és tempestade...
Em meu coração...ahh...temporal!!!!

by Lutche



"Não aceito encomendas..."
E assim vive o poeta!!!
Escravo do seu destino...

Numa alma incompleta!!!!!

by Lutche




O tempo é uma criação humana. A eternidade é uma dádiva divina.

by Lutche

Se o olhar é o espelho da alma. O sorriso é a entrada dela.

by Lutche

Nossas certezas de hoje, serão nossas dúvidas de amanhã...com certeza!

by Lutche

Nunca se tem tempo suficiente quando se tem tempo demais!

by Lutche

Dificil não é inventar a mentira. Dificil é sustentá-la.

by Lutche





Desatino é viver achando que somos predestinados quando somos somente destino.

by Lutche

Muitas pessoas guardam fotos de pessoas queridas na carteira, mas esquecem de guardá-las no coração.

by Lutche

Poeta é um tipo de pessoa que tem de estar com uma caneta e um papel à mão. A inspiração não bate à porta...invade...

by Lutche

Amor de cabana, acaba em uma semana.

by Lutche

Amizade de ocasião é como amor de verão: acaba no fim da estação.

by Lutche

A verdadeira amizade não é só aquela que se revela com a sinceridade da face escondida de nosso interior, mas sim aquela que resiste aos tempos e contratempos da vida.

by Lutche

O pior de um espelho é não reconhecer-se na imagem refletida nele.

by Lutche

As vezes tenho medo de minhas próprias poesias, porque podem me dizer algumas coisas que eu não gostaria de saber.

by Lutche

quarta-feira, fevereiro 17, 2010





Ilusão

Foi tudo ilusão
Lápis, papel, caneta
Espalhados pelos chão

Foi tudo por precaução
Ferir, mentir, sentir
Os pés fora do chão

Foi tudo por doação
Sorrir, brincar. Amar...
Foi o erro então?

Foi tudo com o coração
Amor, saudade...
Mas não passou de paixão

Foi tudo..como foi?
Um mês, um ano depois?
Um sentimento partido em dois

Foi tudo sem planejar
Tudo tão certo pra gente errar
Tudo aberto, pra não fechar

Foi tudo coincidência
Um perfume sem essência
Uma moral sem descência

Foi uma faca de dois gumes
De um lado o amor, do outro o ódio
Entre eles... o ciúme

E o que foi o desistir?
Foi deixar a lona cair
E fazer assim, por fim
Um não existir!



Porque?

Porque não veio?
Porque foi embora?
Porque não ficou?

Porque agora??????

Porque não fazer?
Porque não sentir?
Porque não viver?

Porque fingir??????

Porque não ligar?
Porque não sorrir?
Porque não amar?

Porque mentir??????

Porque não deixar?
Porque não insistir?
Porque não começar?

Porque desistir??????

Porque não se entregar?
Porque não se permitir?
Porque não tentar?

Porque fugir????????

Porque se esconder?
Porque se podar?
Porque merecer?

Porque não ganhar??????

Porque complicar
Nossos sentimentos?
Porque não deixar

Levar-se pelos bons momentos?????

Porque decidir
Tentar vencer
Nossos próprios desejos?

Só nos resta sofrer???????

E tão fácil de ser...
Tão fácil querer...
Tão fácil deixar...

Que nem percebemos...
O realmente queremos...
Porque já perdemos...

A noção do que é fato...
Do que é ato...
Do atar...

Do que é amor...
E do que é amar!!!!!!!!!

Testamento

Quando eu morrer
E meu corpo deixar
Não me enterres num jardim
Não quero rostos tristes
Não quero ninguém assim
Quando eu morrer
Nào tiver nem um sopro de vida
E tudo que restar de mim
São coisas que eu não posso levar
Deixe a dor da ferida
Na lembrança dos momentos bons ficar
Quando eu morrer
Nào quero velório
Não quero ouvir o chorar
Das pessoas que me são queridas
Quero apenas o carinho levar
Quando eu morrer
Moça ou Nào
A idade não vai importar
Quero doar-me por dentro e por fora
Quando eu for embora
E for chegada minha hora
Só quero com minha alma flutuar
Que meus olhos possam fazer
Outro olhar enxergar
Que minhas visceras
Aindas sãs possam a outro corpo
Vida dar
Que meu coração continue a bater
Se um corpo ele puder se guardar
E de tudo que eu possa ceder
Que se faça a vontade chegar
Tirem me tudo, pois o espirito
Vai eternizar
E o ar que neste estado respiro
De pulmão não irá precisar
Se terei o ar mais puro
Do outro lado, onde vou estar
E depois de feito tudo
Para libertar enfim
De tudo ao que este mundo me prende
E de onde um dia vim
Ao pó, eu retornarei
Pois do pó me fiz assim
O meu corpo quer ser cinza
E depois jogado ao mar
Quer pertencer ao seu fundo
E na sua eternidade morar
Fazer parte de outro mundo
Que um dia me pertenceu
Jogada e espalhada ao vento
Numa existência que não morreu
Este é o meu desejo
Seja quem for realizar
Não me enterre numa cova
Não me mate já em morte
Pois terei mais que a sorte
Se um dia velha ou nova
Eu mesmo se escolha
Possa então mesmo que longe
Eternamente nas profundezas
De um mar, um oceano
Mirar me tendo a certeza
De lembrar de quem eu amo.



Best Seller

Todo Mundo Já Leu Um Livro
Que Gosta De Indicar
Todo Mundo Conhece Uma Música
Que Sabe De Cor Cantar
Todo Mundo Recita Poesias
Que Demorou Pra Decorar
Todo Mundo Já Viu Uma Tela
E Viu Seu Mundo Por lá
Todo Mundo Sabe Uma Piada
Que Morre De Rir Ao Contar
Todo Mundo Conhece Alguém
Que Já Sofreu Por Amar
Todo Mundo Tem Alguma Coisa
Que esqueceu De Lembrar
Todo Mundo Ainda Acredita
No Fim Que Irá Chegar
Todo Mundo Critica
O Que Não Consegue Aceitar
Todo Mundo Se Irrita
Com O Que Certo Não Vai Dar
Todo Mundo Se Excita
E Então Pára de Amar
Todo Mundo Sabe... É Dificil
Parar para Pensar...
E Então...Vai Continuando A Andar

Porque...
Já Não É Tão Fácil,
Assim Terninar!